domingo, outubro 04, 2009

ADENOR LEONARDO BACCHI, PEÇA PARA SAIR!

Por Luciano Bonfoco Patussi
04 de outubro de 2009

O cronista esportivo gosta do que faz. Isso é inegável! Para quem gosta de futebol, há algo melhor do que estar no meio do esporte, formando opinião e debatendo sobre o mesmo? Não há. Aliás, até existe algo melhor! Porém, nós que analisamos o esporte não conseguimos chegar até lá, ou seja, não conseguimos ser jogadores de futebol, dirigentes ou treinadores. Fracassamos. Nada que não tenha conserto em nossa vida, mas é uma dificuldade que devemos assumir. Uma limitação! Devemos assumir isso sem qualquer temor e saber que chegamos a um limite. E assim sendo, devemos buscar novos horizontes! Devemos mudar!

Em minha tentativa de analisar futebol, encontro uma dificuldade: comentar jogos do Inter! Analisar o esquema tático colorado me deixa vulnerável e, por vezes, escrevo coisas que não deveria ou que poderia expressar de forma diferente. É um vício da paixão clubística que tenho! Eu sou colorado! Eu sou do Inter! Isso é algo que jamais se apagará! E prefiro seguir assim, limitado ou parcial, como queiram definir! Mas nunca, jamais, menos colorado! Neste quesito sou tão limitado quanto o esquema tático do Internacional. Contra o Coritiba, o time colorado "pediu" para perder, de novo! Na partida do Couto Pereira, foi possível ver novamente uma equipe parecida com a que foi vista no Chile, contra a Universidad: o Inter foi, nos últimos dois jogos, um time com vontade de vencer, porém, sem a mínima organização tática. Tática "nota zero!" Isso é culpa da comissão técnica.

Podemos dizer que o Internacional é um time medíocre neste momento. Podemos argumentar que não existe um esquema tático definido, nem nada de aproveitável. Poderíamos dizer que o time mostra desânimo em campo. Porém, contra a Universidad, no Chile, e contra o Coritiba, no Paraná, vi algo parecido: um time correndo atrás da vitória, sem a mínima orientação tática decente. Ponto negativo para o treinador Tite e sua comissão técnica. De novo! Chegou a hora de mudar! Aliás, passou da hora da mudança acontecer! Assim como descrevo em qualquer opinião que emito, "abomino" a troca de treinador em meio a uma competição. Não há uma estatística em minhas mãos, mas em cerca de 80% - ou mais - das competições existentes, o time vencedor é aquele que segue seu trabalho com convicção. Nas outras aproximadamente 20% das vezes, vence quem tem coragem de mudar diante de algo que se apresenta repetidamente sem solução.

Contra o Coritiba, no Couto Pereira, Tite armou o Internacional para "tentar não perder". Esse era o espírito do time. Era visível! Sobrou um pouco de vontade. Faltou tática! O Inter jogou com o selecionável volante Sandro - de novo - como ponteiro pelo lado direito, Maycon seguiu "intocável" no meio de campo e Alecsandro era uma espécie de "armador" que aparecia para tabelar, jogar pelas pontas do campo e tudo o que era possível. Menos concluir de dentro da área! E quando a bola sobrou na área, ele "furou". Novamente. Por outro lado, a bola não chegava decentemente no ataque. Era difícil. Faltou orientação. É verdade que a direção errou em vendas de jogadores importantes e em falta de reposição de mesmo nível. A qualidade caiu. Mas ainda assim, o grupo - que possui deficiências visíveis - é bom e poderia render mais do quem tem apresentado!

Acredito que a direção de futebol é a maior culpada do que tem ocorrido no ambiente do Internacional. Para a venda de Nilmar, deveria haver reposição. O atleta Edu, próximo dos seus 30 anos de idade, é ainda muito bom jogador, mas jamais poderá substituir Nilmar. Comparar Nilmar e Edu é, como se diz, algo que "não tem nada a ver!" Faltou contratação. Faltou reposição. Houve equívoco de avaliação! O mesmo vale para a venda de Magrão. Quando o Internacional tinha Sandro, Magrão, Guiñazú e até mesmo Rosinei, a qualidade do meio campo era evidente. Saiu Rosinei e Magrão foi vendido. Maycon, assim como Glaydson, que antes eram quinto e sexto reservas, passaram a ser a solução imediata para desfalques eventuais do time. A qualidade caiu drasticamente e a direção de futebol deu seu aval para isso acontecer. E tudo "estourou" dentro de campo.

E dentro de campo, faltou ousadia de comando. Neste quesito, Fernando Carvalho e Vitório Píffero saem da vitrine de culpados. Entra Tite! Contra o Coritiba, o Internacional tinha D'Alessandro e o emergente Marquinhos disponíveis no banco de reservas. O jogo estava empatado em zero e caminhava para a segunda metade do segundo tempo. Boa parte da torcida imaginava que as mudanças só viriam após o time tomar um gol. Era previsível, pois as alterações de Tite são sempre assim: previsíveis!

Edu entrou no lugar de Taison - o que era super "previsível". Repito essa palavra de forma até irritante, mas é que isso era - de novo - previsível! E após o gol do Coritiba, as mudanças aconteceram. Mas não era o que a torcida imaginava. As alterações foram "previsíveis", novamente! Tite buscou o "seu equilíbrio". Um equilíbrio "único" e que o torcedor do Internacional não aguenta mais! Assim como não aguenta mais também a palavra "previsível" em minha crônica. Assim como não aguenta mais a "previsibilidade" do time do Inter, em campo!

Ao invés de sacar Maycon e talvez Andrezinho, para colocar Marquinhos e D'Alessandro, Tite tirou do jogo Guiñazú - que não aparentava cansaço nem lesão - e colocou seu compatriota, D'Alessandro. Maycon seguiu jogando, pois na visão do treinador, sua presença seria mais decisiva que a de Guiñazú. Assim como na visão da diretoria de futebol, a presença de Maycon parece ser mais efetiva em busca do título do que a de Magrão. No lado direito, para "fortalecer" a jogada ofensiva, Tite sacou Bolívar para colocar Danilo Silva. Foi uma "grande e inovadora" alteração! E aí entra a parcela de culpa da direção de futebol, que deixou o Internacional carente nesta posição desde 2007, com a saída de Ceará para o futebol francês. E o Inter segue buscando seu "equilíbrio". Algo irritante para o torcedor colorado!

Caro Adenor Leonardo Bacchi, sinceramente não sei quem poderia o substituir hoje no comando do time colorado! Isso é uma limitação particular minha. Não sei! Estou sem rumo! Talvez Carpeggiani. Talvez alguém com ousadia. Ousadia faltou hoje, contra o Coritiba! Sei de minha limitação neste ponto. Não sei indicar a solução ideal! Reconheço este limite, mas quero vencer! Como torcedor colorado, sou grato ao Senhor, Tite - e também a direção de futebol do Inter - pelos títulos da Copa Sul-Americana de 2008 e do campeonato gaúcho de 2009. Foram conquistas empolgantes! Você, Tite, é profissional exemplar em suas atitudes dentro do dia a dia do clube! Acredito que busca sempre acertar! Mas o futebol é dinâmico, todos sabem! Algo que é hoje é bom, amanhã, dependendo dos resultados - ou com a falta deles - pode passar a ser ruim!

Ao ser defensivo e "previsível" outra vez, o "Inter de Tite" deixou o empate ou até mesmo a vitória escaparem contra o Coritiba, assim como já escaparam várias outras vezes no campeonato brasileiro de 2009. O Palmeiras, que viu o trabalho "degringolar despenhadeiro abaixo", soube mudar o comando e reforçar o time na hora certa, e agora caminha rumo ao título nacional. E para o alviverde paulistano, pelo menos a vaga na Libertadores é praticamente garantida.

Para o Internacional - que já nem falo mais em título - deixar escapar vaga para a Libertadores de 2010 será a maior "flanelagem" da história do campeonato brasileiro. Tudo por culpa da direção de futebol e do seu atual treinador, pois as falhas e equívocos vem "de cima para baixo". E tem se repetido constantemente. É hora de mudanças no comando do time, antes que seja tarde demais! A direção não mudará, é quase certo! Assim sendo, Senhor Adenor Leonardo Bacchi, peça para sair do comando técnico do Inter! Pelo bem do Internacional! E se tu continuares no Inter e fores o campeão brasileiro em 2009, quero ter o prazer de ser o primeiro colorado a admitir que estava errado, derramando lágrimas de emoção com o título que foge do Inter há 30 anos! Mas o seu desempenho atual do time colorado, aliado a suas atitudes, mostram que isso não vai acontecer! Se tu continuares no comando do Inter, por favor, mostres que estou equivocado!

DESTAQUES

ESPECIAL DO CENTENÁRIO:
História Colorada e Fotos Antigas

ENTREVISTA: Delegado Poppe

O INTER NA REVISTA PLACAR

POESIAS COLORADAS


 Clique aqui para adicionar o Supremacia Colorada ao seu leitor de RSS favorito!

ASSINATURA

Receba diariamente o Supremacia Colorada em sua caixa postal!

Cadastre seu e-Mail aqui!

Ou adicione direto ao Google Reader!
Clica Aqui!

CONTATO DIRETO


O Blog Supremacia Colorada é administrado por Tiago Vaz, Conselheiro do Sport Club Internacional. Para entrar em contato diretamente com o administrador do Blog, por favor envie um e-mail para blog.supremacia.colorada no gmail

Leitores e Amigos no Google+

COMUNIDADE


Participe da nossa comunidade no Orkut!

Translate

Marcadores